ROCHAS METAMÓRFICAS 

Quando as rochas são sujeitas a um aumento de pressão e temperatura, sofrem transformações na sua mineralogia e textura e dão origem a rochas metamórficas. Estas transformações ocorrem no estado sólido, devido a vários factores que actuam ao longo do tempo geológico.
O calor favorece as reacções químicas e a recristalização. A pressão, resultante do peso dos sedimentos e/ou de forças tectónicas, facilita a dissolução, recristalização e alinhamento dos minerais. Os fluidos de circulação, como a água, também podem modificar profundamente a constituição mineralógica das rochas encaixantes.

Existem diferentes ambientes metamórficos, caracterizados por diferentes intervalos de pressão e temperatura. Assim, é possível distinguir dois tipos principais de metamorfismo: metamorfismo regional e metamorfismo de contacto.

 


Os xistos e os gnaisses são rochas metamórficas que resultaram de metamorfismo regional sobre rochas sedimentares ou magmáticas. Estas rochas têm aspecto nitidamente cristalino. Os xistos têm uma foliação bem evidente e os gnaisses apresentam os minerais claramente orientados em bandas paralelas.
Os mármores e as corneanas são rochas metamórficas que resultaram do metamorfismo de contacto.

As rochas metamórficas apresentam-se, frequentemente, dobradas.

Saber mais sobre as rochas metamórficas

2009 Nelson Nuno Lira

Make a Free Website with Yola.